Tristeza | Nosso Amiguinho

Tristeza

Existe uma vasta lista de emoções experimentadas pelo ser humano ao longo de sua vida. Entre o medo, a alegria e a frustração, além de outras, encontramos a tristeza. E, apesar de querermos evitá-la, a tristeza tem um papel importante na saúde emocional. Assim como o medo serve para nos proteger de situações perigosas, a tristeza mostra aquilo que nos faz mal.

Se a criança fica triste ao brigar com alguém que ama, por exemplo, ela vai perceber que brigar não é algo bom e vai tentar não repetir a atitude, para evitar a tristeza pelo desentendimento. 

De acordo com especialistas, o processo emocional ocorre da seguinte forma: primeiro sentimos algo que não sabemos identificar, depois identificamos e nomeamos, como “tristeza” ou “medo”, por exemplo. Em terceiro lugar, o sentimento é refletido em nossas atitudes. No caso da tristeza, ficamos quietos e, em alguns casos, choramos. Após isso, tentamos encontrar uma solução para nos livrar do desconforto emocional.

Ao ver seu filho triste você pode se sentir impulsionado a alegrá-lo. É uma atitude natural dos pais, mas é preciso agir com cuidado. Não tente fazê-lo ficar feliz dando algo em troca, como se a felicidade dependesse de coisas. Além disso, em vez de tentar simplesmente animá-lo, ensine-o a experienciar o momento e a lidar com o sentimento da maneira mais adequada.