Selfie de papel – Nosso Amiguinho
Missing Consumer Key - Check Settings

Selfie de papel

Acredita-se que o primeiro autorretrato data de 1839. O químico alemão, Robert Cornelius, morava na Filadélfia, nos Estados Unidos, quando realizou o primeiro autorretrato da história. Para capturar a imagem, Cornelius teve que permanecer imóvel por um período de 10 a 15 minutos. Contudo, anteriormente, diversos pintores já haviam registrado autorretratos em tela . Especialmente a partir do Renascimento italiano, o ser humano passou a ser foco das pinturas de artistas. A maioria das pessoas representadas era nobre e burguesa. 

O registro do ser humano foi se modernizando, até chegar no que hoje conhecemos como as famosas selfies. Pensando em um misto dessa fotografia eletrônica com o autorretrato manual dos pintores, que tal pedir seu filho para fazer uma selfie no papel? A arte do autorretrato é uma maneira de explorar a percepção de si próprio. 

A criança pode usar o que desejar, desde lápis e canetinhas, à tinta e massinha. Vale inventar o que quiser e fazer uma selfie toda texturizada. Entregue para seu filho os materiais como papel, papelão, massinha, tintas, pincéis, canetinhas, lápis, giz de cera, retalhos de papel, tesoura e cola. Uma dica é espalhar a massinha pelo rosto e modelar os olhos, nariz, boca e orelhas. Depois, a criança pode pintar e incluir as texturas que quiser. 

A intenção é dar ao pequeno liberdade para retratar a si mesmo como se vê. Depois, leve-o para a frente de um espelho e compare com a selfie de papel, mostrando as semelhanças e diferenças entre o reflexo no espelho e a percepção da criança.