O Terrível Senhor Complexo | Nosso Amiguinho

O Terrível Senhor Complexo

Maurício não gostava de ir à escola. É que todos os meninos da classe sempre caçoavam dele por causa do seu cabelo vermelho. Eles o chamavam de Foguinho. Isso o aborrecia muito. Tanto que, certa noite, ele confessou à mãe:

– Ah, mamãe, detesto o meu cabelo. Por que ele tem que ser desta cor?

– Meu filho, não ligue para o que os outros falam. Cada pessoa é de um jeito. Uns têm cabelo crespo, outros, liso, e cada um de uma cor diferente. Se você der a atenção a esses moleques, vai deixar com que o Senhor Complexo tome conta de você.

– O Senhor Complexo? Quem é ele, mamãe?

– Bem, o Senhor Complexo é um terrível agente inimigo que, se deixarmos, entra disfarçado em nosso pensamento e destrói tudo o que somos. Por isso, devemos nos aceitar como somos. Veja, por exemplo, os animais da floresta: cada um tem suas próprias características.

Maurício não entendeu muito o que a mãe havia dito e dormiu preo­­cupado, pensando no tal Senhor Complexo. Sua cabeça estava “voando”… Não demorou muito para que dormisse e sonhasse:

Era uma linda manhã na floresta. Todos os animais brincavam despreo­­cupados e felizes. De repente, uma nuvem negra se aproximou. Era o Senhor Complexo! Ele começou a atuar na mente dos animais, sem que ninguém percebesse.

O primeiro a ser atingido foi o Tucano. O Senhor Complexo lhe cochichou:

– Você não tem vergonha, seu narigudo? Com um nariz tão grande assim, você não deve achar nem lenço para comprar!

Em seguida, foi a vez da Coruja:

– E você, por que ainda não fez uma cirurgia plástica? Com tanta feiura, nunca vai arranjar casamento!

Ao Elefante, ele disse:

– Rapaz, você está gordo, hein! Devia fazer um bom regime…

E assim foi ele, criticando a tudo e a todos. Chamou a Girafa de pescoçuda, ao Macaco, de magricelo; ao Leão, de hippie cabeludo.

Foi então que, de uma só vez, todos na floresta resolveram mudar o visual. A Coruja fez uma plástica; o Tucano operou o nariz; o Elefante emagreceu; a Girafa deu um jeito de en­­curtar o pescoço; o Macaco fez ginástica e ficou fortão; e o Leão adotou um moderno corte de cabelo, quase careca.

Mas foi o aí que um grande problema surgiu. Certa noite, um grupo de ladrões entrou na floresta para assaltá-los. A Coruja, como sempre, estava de guarda para assustar os bandidos. Mas, como estava muito bonita, os bandidos nem deram bola.

Quando o Leão ouviu os ruídos, rugiu e deu ordem aos guardas para que prendessem os bandidos. Mas os guardas não o reconheceram; e não obedeceram.

Só restavam três chances: o Elefante, com seu peso e força, deveria amedrontá-los; a Girafa deveria apanhar cocos nas copas para servir de munição; e o Tucano deveria atacá-los a bicadas.

Mas que decepção! Agora, por causa do terrível Senhor Complexo, o Elefante estava magrinho, a Girafa não alcançava o coqueiro e o Tucano não tinha mais bico para atacar. Bem que o Macaco tentou chamar reforço, mas estava tão musculoso que arrebentou logo o primeiro galho em que pulou! Foi um desastre…

Então, Maurício acordou. Ele correu para abraçar a mãe e contar a ela o sonho. Daquele dia em diante, foi um menino mais feliz, aceitando-se como era, sem dar ouvido ao terrível Senhor Complexo.

  • Posso dizer que essa história mudou o meu futuro… Quando eu era ainda uma estudante do magistério, com 16 anos, consegui um emprego de professora em uma escola muito pequenina. na época, era permitido registrar menores e também lecionar sem ser formada. Isso lá se vão quase 30 anos. Numa bela tarde, contei essa história no culto da tarde de sábado. Sentado nos bancos estava o departamental de educação. Ele gostou tanto do meu jeito de contar essa história e achou que eu levava jeito para ensinar. me convidou para trabalhar em outra unidade, em uma cidade maior. Quando me formei, me transferiu para uma unidade onde tinha universidade estadual. Lá, me formei no ensino superior. Hoje, pela graça de Deus, tenho quase 30 anos de magistério, já fui professora de duas gerações de alunos , inclusive de minhas próprias filhas. Sou concursada pelo município e estado. Gratidão ao criador dessa história, aqui não relata quem foi, mas obrigada, mudou meu futuro. Obrigada a revista Nosso Amiguinho. Li essa história quando criança e nunca mais esqueci.