A lição da galinha ruiva | Nosso Amiguinho
    • Quando foi a última vez que você comprou um livro para o seu filho? Não deixe para depois! Visite nossa seção de l… https://t.co/Jpi7tNDEmW

      Apr 18, 2019

A lição da galinha ruiva

Aproveitando aquela deliciosa tarde de chuva, Dona Vera sugeriu fazer uma fornada de pão de queijo bem quentinho. Patrícia e Otávio gostavam muito dos pães de queijo da mamãe e vibraram de alegria com a ideia.

– Então eu separo os ingredientes e vocês me ajudam a fazer, combinado?

Otávio olhou para os carrinhos com os quais ele estava brincando. Patrícia pensou no gibi que estava lendo. Eles queriam comer, mas ninguém queria ajudar.

– Ah não, mãe! – disse Otávio cheio de preguiça.

– A gente não pode continuar brincando? – questionou a garota.

Dona Vera olhou para os filhos e sorriu:

– Vocês estão parecendo os amigos da galinha ruiva, hein?

– Galinha ruiva? – perguntaram em coro.

– Vocês não conhecem essa história? Ela é bem antiga…  – disse a mãe. É mais ou menos assim…

A galinha ruiva encontrou um grão de milho e perguntou a todos os seus amigos: “Quem quer ir plantar comigo?”

“Eu não”, “Eu não”, “Eu não, Dona Galinha”.

Então, ela respondeu: “Tudo bem, eu vou plantar sozinha.”

Depois de algum tempo, quando o milho precisava ser colhido, ela perguntou: “Quem quer ir colher comigo?”

“Eu não”, “Eu não”, “Eu não, Dona Galinha”.

Ela respondeu: “Eu vou colher sozinha.”

Na hora de moer o milho, mais uma vez ela perguntou: “Alguém quer ir moer comigo?”

“Eu não”, “Eu não”, “Eu não, Dona Galinha”.

A galinha  respondeu: “Eu vou moer sozinha.”

A Dona Galinha preparou os ingredientes para um delicioso bolo. Antes de assar, ela perguntou: “Quem quer ir assar comigo?”

“Eu não”, “Eu não”, “Eu não, Dona Galinha”.

Ela respondeu: “Eu vou assar sozinha.”

Pouco tempo depois, todos começaram a sentir o delicioso cheiro do bolo. Foi então que a Dona Galinha perguntou: “Alguém quer ir comer comigo?”

“Eu quero”, “Eu quero”, “Eu quero, Dona Galinha!”

Mas ela respondeu: “Eu vou comer sozinha.”

Quando terminaram de ouvir a história, Otávio e Patrícia se levantaram o mais rápido possível e correram para perto da mãe.

– Eu ajudo, mãe! – gritou o garoto levantando o braço.

– Posso enrolar os pães de queijo direitinho! – Patrícia se ofereceu.

Dona Vera achou graça, e todos foram para a cozinha. Na hora de comer, o lanche tinha um gostinho especial; afinal, todos ajudaram e então podiam desfrutar juntos.

– Toca aqui, equipe – disse Otávio estendendo a mão.

 

Texto: Anne Lizie Hirle