Jardim de todas as cores | Nosso Amiguinho

Jardim de todas as cores

Esta é uma história que minha avó me contava quando eu era criança. Já faz bastante tempo, mas eu nunca me esqueci dela, por isso quero contá-la para vocês:

Era uma vez um menino de pele morena. Na escola, os colegas zombavam dele, chamando-o de bola de neve. Muitas vezes ele chegava em casa chorando, e a mãe o consolava:

– Meu filho, não chore. Você é um garoto como qualquer outro, não há diferença entre você e os seus coleguinhas.

Mas no outro dia, começava tudo outra vez: “Lá vem o bola de neve! Onde você vai, bola de neve?” Um dia, ao voltar da escola, ele estava triste e pensativo quando passou na frente de um supermercado. O anúncio na porta dizia: “Promoção Sabão Tudo Branco: deixa tudo bem branquinho”.

“Essa é a minha chance!” pensou ele. “Nunca mais vão me chamar de bola de neve. Também vou ficar branquinho.”

O garoto colocou a mão no bolso e pegou as moedas que deveria usar para o lanche. Contou uma a uma e viu que daria para comprar uma barra do sabão.

Ao chegar em casa, aproveitou que a mãe estava fazendo o almoço e correu para o banheiro. Encheu uma bacia de água, sentou dentro dela e começou a se ensaboar com o sabão que havia comprado. A cada esfregada, ele olhava para o braço para ver se já estava branco. Nada! O sabão não o estava deixando branco. Na verdade, sua pele começou a ficar vermelha, de tanta força que ele estava fazendo.

Ele ainda estava sentado na bacia quando a mãe bateu na porta, chamando-o para almoçar. Percebendo que o filho estava chorando, ela entrou:

– O que está acontecendo, filho? Por que você está todo vermelho? Você se machucou?

Chorando, ele contou para a mãe a história do sabão e como ele queria ficar branquinho. A mãe enrolou o filho numa toalha, secou cuidadosamente os braços avermelhados e falou:

– Olhe bem por essa janela: você já imaginou como nosso jardim seria se todas as flores fossem rosas? Você acha que seria um jardim bonito?

O garoto não estava entendendo o que a mãe queria dizer com essa história de flor. Ela continuou:

– Deus nos fez diferentes, assim como as flores desse jardim. Cada um tem seu jeitinho e é isso que nos faz tão especiais. Imagine se todos os colegas da sua escola fossem iguais, com a mesma cor de pele, olhos e cabelo. Não seria sem graça? A beleza está nas diferenças, meu filho. Somos diferentes e únicos.

Ele enxugou as lágrimas e abraçou a mãe com força. Depois daquele dia, ele finalmente entendeu que não havia motivos para querer ser igual aos outros. Cada pessoa tem suas características, e não precisamos ser todos iguais. Logo, os garotos da escola perceberam como ele estava mudado e pararam de zombar dele. E assim acaba a história.

Eu gosto muito de me lembrar dessa história. Ela nos ensina uma coisa muito importante: nós somos diferentes e únicos, e temos muito valor. Nada nem ninguém pode mudar isso!

Texto: Anne Lizie Hirle